" O grande homem é o homem livre" - Kung-Fu-Tse (Confúcio - 孔夫子)
A liberdade de imprensa é talvez a liberdade que mais tem sofrido pela degradação da idéia da liberdade.
Albert Camus

"Atrás da anonímia se alaparda a covardia, se agacha o enredo, se ancora a mentira, se acaçapa a subserviência, se arrasta a venalidade."
Rui Barbosa

Meus textos

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Flor de Outono

Noite quente de outono
Música marcante e melancólica
Acende luzes no passado:
Jardim florido e fecundo.

Lembrança de ideais que avultam,
Inexplicável fé irracional,
Lançam sementes de esperança
No futuro do meu mundo.

O esplendor rompe limites,
Que transcendem a face bela
Vão para além do ventre
Que abriga a vida singela.

Com olhos da Terra se vê
Ser que geme, chora e ri,
Mas ainda sem consciência
Das alegrias que vivi.


Flor de outono que ilumina
Vibra fibras da lembrança
Mente quieta descortina
Alegria vivaz de criança

Mas não há tempo passado
Que apague o que vai na alma:
Seu sorriso iluminado
E olhar meigo que acalma.

Do passado, presente e futuro,
Das riquezas que amealhei,
Cabe-lhe um quarto inteiro.

Herança de ascendente que ascende:
Substantivo amor e saber,
Que levo além do derradeiro.

Nenhum comentário: